Ciclo de Debates SP 2030


Objetivos: Debater as questões e desafios da Cidade de São Paulo para os próximos 15 anos, dialogando com especialistas e com a sociedade civil a respeito dos caminhos que precisamos trilhar em áreas como: mobilidade urbana, cultura esporte e lazer, meio ambiente e sustentabilidade, entre outras.

Diretor Responsável: Christy Ganzert Pato

Coordenação: Lara Mesquita

Público Alvo: Sociedade Civil Organizada, munícipes e servidores públicos.

Carga Horária Total: 5 encontros de 3h = 15h

Data e Horário: 23/05, das 14h às 18h

Local: Plenário 1º de Maio

TEMA 1: MOBILIDADE (21/03) 

O primeiro dos cinco seminários abordará a questão da mobilidade e terá dois focos: transporte público coletivo e mobilidade ativa. Discutir os desafios para São Paulo nessa área, como melhorar o transporte público e incentivar que as pessoas andem a pé e de bicicleta pela cidade, para que em 2030 a cidade seja mais humana e acessível para todos.

Expositores: Ciro Biderman (FGV / SMT) e Maria Ermelina Malatesta (consultora de Mobilidade Ativa)

Debatedores: José Jailson da Silva (Fórum Viva Fundão M’Boi Mirim) e Victor Callil (CEBRAP)

Relatório de Pesquisa: SP 2030 I – Mobilidade

TEMA 2: INOVAÇÃO (25/04) 

O segundo dos cinco seminários abordará a questão da inovação. O objetivo é refletir sobre o potencial da cidade e como o poder público pode atuar para desenvolver esse potencial. Conhecer experiências de empreendedorismo e inovação que deram certo, e o que os atores mais engajados esperam da Prefeitura Municipal de São Paulo. Quais iniciativas devem ser tomadas para São Paulo se tornar um polo de inovação em 2030 e em que áreas se concentram os potenciais da cidade.

Expositores: Ver. Police Neto (PSD); Carlos Eduardo Torres Freire (CEBRAP); Haroldo Gama Torres; Jose Claudio Cyrineu Terra.

Relatório de Pesquisa: SP 2030 II – Conhecimento e Inovação

TEMA 3: DESIGUALDADE (23/05) 

O terceiro dos cinco seminários abordará a questão das desigualdades sociais. O objetivo é refletir sobre as desigualdades existentes hoje na cidade, e quais políticas públicas podem ser adotadas para mitigar essa realidade. Quais ações o poder público precisa tomar para que em 2030 SP seja uma cidade menos desigual? A desigualdade será abordada a partir de três perspectivas distintas: espacial (geográfica), educação, trabalho e renda.

Expositores: Eduardo Marques; Vera Masagão; Padre Jaime; Vereadora Juliana Cardoso.

Relatório de Pesquisa: SP 2030 III – Desigualdade

TEMA 4: SUSTENTABILIDADE (20/06)

O quarto dos cinco seminários abordará a questão do desenvolvimento sustentável. O objetivo é refletir sobre as condições ambientais e sociais da cidade hoje e como a SP pode continuar crescendo e se desenvolvendo de forma sustentável. Quais políticas públicas podem ser adotadas para que SP seja uma cidade mais sustentável. Quais ações o poder público precisa tomar para que em 2030 SP seja uma cidade melhor para se viver?

Expositores: Luciana Travassos (UFABC); Américo Sampaio (Rede Nossa SP); Fernanda Meirelles (FGV/DireitoSP); Ver. Ricardo Young (CMSP/REDE).

Relatório de Pesquisa: SP 2030 IV – Sustentabilidade

TEMA 5: GOVERNANÇA (27/06) 

O último dos cinco seminários abordará a questão da governança metropolitana. O objetivo é refletir sobre os desafios de se governar uma megacidade como São Paulo e fazer a governança de políticas públicas que não se esgotam dentro das fronteiras da cidade. A questão ambiental, do tratamento de resíduas sólidos, de transporte público e da gestão de recursos hídricos são apenas alguns exemplos de problemas metropolitanos que não se resolvem sem uma ação conjunta das diferentes esferas de governo envolvidas. Quais políticas públicas podem ser adotadas para que SP seja uma cidade melhor e mais governável. Quais ações o poder público precisa tomar para que em 2030 SP seja uma cidade melhor para se viver?

Debatedores:

  • Antonio Donato (CMSP): Presidente da Câmara Municipal de São Paulo.
  • Mariana Mencio (UFABC): Doutora em Direito Urbanístico pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Professora adjunta de Direito Ambiental e Urbanístico da Universidade Federal do ABC (UFABC), vinculada ao Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências Sociais Aplicadas. Coordenadora de ensino do Instituto Brasileiro de Direito Urbanístico.
  • Anderson Kazuo Nakano(FGV/DireitoSP): Professor no programa de pós-graduação lato sensu em direito imobiliário da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP), do curso de graduação em arquitetura e urbanismo do FIAM FAAM Centro Universitário.  Graduado em Arquitetura e Urbanismo (1995) e mestre em Estruturas Urbanas e Ambientais (2002) pela Universidade de São Paulo (FAUUSP), com especialização em gestão urbana e ambiental pelo Institute for Housing and Urban Development (IHS) de Rotterdam, Holanda (2000). É doutor em Demografia pelo Núcleo de Estudos de População da Universidade de Campinas (NEPO-UNICAMP). (2015) Foi Gerente de Projetos do Ministério das Cidades (2004-2005) e trabalhou como técnico senior do Pólis – Instituto de Estudos, Formação e Assessoria em Políticas Sociais (2000-2004 e 2006-2012). Integrou a equipe de consultoria para elaboração do Plano Nacional de Habitação (PlanHab) (2009) e foi diretor do Departamento de Urbanismo da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano da Prefeitura de São Paulo (2013-2014).
  • Luis Paulo Bresciani (Consórcio ABC): Secretário Executivo do Consórcio do ABC e professor do Programa de Pós-graduação em Administração da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS). Graduado em Engenharia de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (1983), com mestrado em Engenharia (Produção) também pela Universidade de São Paulo (1991), especialização em Relações do Trabalho (Universidade de Harvard, EUA, 1998), e doutorado em Política Científica e Tecnológica pela Universidade Estadual de Campinas (2001).

Relatório da Pesquisa: SP 2030 V – Governança