Comissão aprova requerimento sobre a licitação de ônibus do município

ANDRÉ CATTO
DA TV CÂMARA

A Comissão de Trânsito aprovou nesta quarta-feira (7/3) um requerimento sobre a licitação dos ônibus na cidade de São Paulo. O documento pede que a Prefeitura estenda por dez dias o prazo de consulta e encaminhamento de propostas.

A consulta pública para o novo edital dos ônibus do município se encerrou no último dia cinco. A proposta inclui a extinção de 149 linhas, além da mudança de outras 186, que poderão ter alterações de nome, trajeto e extensão.

De acordo com o vereador Alessandro Guedes (PT), a população teve dificuldades para participar da consulta. Por isso, ele apresentou um requerimento que pede a ampliação do prazo.

“O requerimento pede a extensão do prazo em pelo menos dez dias porque ficou de uma forma muito confusa no edital que foi lançado. As pessoas, para terem acesso às informações de quais linhas seriam extintas, cortadas, suspensas, teriam que vasculhar 1.183 arquivos. Ou seja, o munícipe comum não conseguia ter informação. E há apenas dois dias do fim da consulta pública, no dia 3, a Secretaria liberou uma lista com os nomes das linhas que devem ser cortadas ou suspensas”, disse o vereador.

Outros dois requerimentos foram aprovados durante a Comissão. Um deles, também de autoria do vereador, pede esclarecimentos à Prefeitura sobre o programa “asfalto novo”.

Alessandro conta que chegaram denúncias a ele, inclusive de técnicos da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), de que a qualidade da sinalização que tem sido feita é ruim. “Com algumas chuvas, elas vão sair. Se técnicos da CET dizem isso, nós temos de averiguar”.

Além dos requerimentos, a Comissão deu parecer favorável a dois PLs (Projetos de Lei). O primeiro propõe que idosos, professores e estudantes paguem meia-entrada nos ônibus circulares de turismo da cidade. Já o segundo propõe a gratuidade no transporte para integrantes do conselho participativo municipal.

Para o vereador Senival Moura (PT), presidente da comissão de trânsito, a ideia do projeto é garantir a tarifa zero para os conselheiros municipais. “É mais um custo que vem sobre o sistema de transporte da cidade. Nós aprovamos aqui, tem um parecer favorável, mas ainda será discutido em última instância, em Plenário”, diz.

2 Comments

Nelson Oliveira

Me perdoe minha ignorância, mais como pode fazer tais mudanças sem uma avaliação do povo? O maior prejudicado somos nos! Antes de fazerem tais mudanças, deveriam fazer uma pesquisa com a população para ver se isto é realmente necessário para todos nós? Já pagamos impostos absurdos de mais, não dá para continuar pagando pelas idéias erradas destes senhores que fazem as coisas pensando so neles, temos nossos direitos.
Grato
NELSON OLIVEIRA

Responder
Nelson Oliveira

Me perdoe minha ignorância, mais como pode fazer tais mudanças sem uma avaliação do povo? O maior prejudicado somos nos! Antes de fazerem tais mudanças, deveriam fazer uma pesquisa com a população para ver se isto é realmente necessário para todos nós? Já pagamos impostos absurdos de mais, não dá para continuar pagando pelas idéias erradas destes senhores que fazem as coisas pensando so neles, temos nossos direitos.
Grato
NELSON OLIVEIRA

Responder

Deixe uma resposta:

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também