Braços Abertos dá dinheiro a traficante, diz vereador

RenattodSousa / CMSP
PLENARIO-1322014-Rtto__5637-72-ABRE

Na tarde desta quarta-feira (12/2), o vereador Andrea Matarazzo (PSDB) criticou o programa De Braços Abertos, criado pela Prefeitura para oferecer trabalho e moradia a dependentes químicos da Cracolândia. O parlamentar acusou a iniciativa de dar dinheiro para os traficantes.

Anteriormente, durante a mesma sessão, Matarazzo já havia criticado uma declaração do prefeito Fernando Haddad à imprensa. Em entrevista à BBC, Haddad afirmou que a elite da cidade é míope e pobre de espírito.

Em defesa do prefeito, o líder do governo, Arselino Tatto (PT), reafirmou os comentários do chefe do Executivo. Para o petista, muitos programas inovadores, como o Braços Abertos, são sabotados pela imprensa e pelos ricos da cidade. “Existe sim [essa elite míope], é a pura verdade. É essa elite que critica o trabalho que está sendo feito na Cracolândia, declarou.

Em resposta, o vereador do PSDB disse ao Portal da Câmara que o que o poder público está fazendo é dar dinheiro para o traficante. Não há nenhum estímulo para o dependente deixar a droga.

Ele ainda afirmou que não vê nenhum aspecto pejorativo na palavra elite. O ideal, o que nós lutamos nessa Casa, é para que São Paulo toda seja elite, para que a população toda seja elite.

O líder do PT, Alfredinho, defendeu a iniciativa da Prefeitura. A partir do momento em que você dá renda para essa pessoa, você dá uma chance para que ela tenha uma vida mais normal e, eventualmente, largue o vício.

Para Ricardo Young (PPS), ainda é cedo para se avaliar a eficácia do programa. No entanto, ele acredita na iniciativa. “Pensaremos para que essa operação seja prorrogada e aperfeiçoada. Uma sociopatia como essa, da pobreza e da droga, não se resolve no curto prazo, ponderou.

O programa
O público alvo da ação são usuários de crack em situação de rua. A Prefeitura oferece estadia em hotéis, três refeições diárias, participação em uma frente de trabalho de varrição em praças de parques, com renda de R$ 15 por dia, além de acompanhamento médico e capacitação profissional.

Segundo o Executivo, o objetivo do Braços Abertos é resgatar a cidadania dos dependentes, de modo a incentivá-los a largar o vício. Até o fim de janeiro, 370 pessoas cadastraram-se no programa.

(12/02/2014 – 19h35)

Veja também